Teologia Ecofeminista frente às crises socioambientais e pandêmicas

La teología ecofeminista frente a la crisis socio-ambientales y pandémica

  • Ivoni Richter Reimer, Th.D. Professora na PUC Goiás (Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião).
Palabras clave: RELIGIÃO, ECOFEMINISMO, GÊNERO, TEOLOGIA, VULNERABILIDADES

Resumen

O texto apresenta alguns referenciais teóricos eco feministas para refletir sobre a relação de religião, gênero e ecologia a partir de tragédias socioambientais e pandêmicas contemporâneas. A pesquisa bibliográfica inclui material audiovisual. Baseia na transversalidade de abordagens socioambientais eco feministas a partir da categoria analítica de gênero, que contempla as relações de poder também entre classe, etnia e geração na lide com pessoas e ambiente. Afirma a ética do cuidado desde os elos mais vulnerabilizados na criação, em nível sociocultural, político, econômico e teológico.

Biografía del autor/a

Ivoni Richter Reimer, Th.D., Professora na PUC Goiás (Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião).
  • Doutora em Teologia e Ciências da Religião (Universität Kassel) com pós-doutorado em Ciências Humanas (UFSC).
  • Líder do Grupo de Pesquisa e Estudos em Religião, Gênero e Poder.
  • Editora-gerente da revista Caminhos.

Citas

Comissão Pró-Índio de São Paulo. (2020). Quilombolas no Brasil. Disponível em https://bit.ly/3jOubcw

de Sousa, B. (2020). A cruel pedagogia do vírus. Buenos Aires, Argentina: CLACSO.

Ferreira, D. (05 de julho de 2020). MST inaugura Centro de Produção Agroecológica em lavoura destruída por usineiros no PR. Terra sem Males, jornalismo independente. Disponível em https://bit.ly/3iFo8aY

Flores, B., e Trevizan, S. (2015). Ecofeminismo e comunidade sustentável. Revista Estudos Feministas, 23(1), 11-34. doi: 10.1590/0104-026X2015v23n1p/011.

Gebara, I. (1997). Teologia ecofeminista: ensaio para repensar o conhecimento e a religião. São Paulo, Brasil: Olho d’Água.

Guevara, A. (2020). Exigen al presidente cese a su violencia institucional contra las mujeres. México. Disponível em https://bit.ly/37z6u1U

Hoornaert, E. (2014). Ecofeminismo e imaginário cristão. Mandrágora, 20(20), 45-58. doi: 10.15603/2176-0985/mandragora.v20n20p45-58

Lassak, S. (2013). Comunidades de Resistência e Libertação: a influência da Teologia (Feminista) da Libertação no Movimento de Mulheres
Camponesas. Revista Caminhos - Revista de Ciências da Religião, 10(2), 90-109. doi:http://dx.doi.org/10.18224/cam.v10i2.2456

Lutero, M. (1980). Catecismo Maior. In A. Schüler (trad. e notas), Livro de concórdia (págs.385-496). São Leopoldo: Sinodal; Porto Alegre, Brasil: Concórdia.

Marques, L. (2019). As políticas públicas ambientais no ano dos desastres. Consultor Jurídico, São Paulo, Brasil. Disponível em https://bit.ly/3yHawBl

Miranda, C. (2015). Os movimentos feministas e a construção de espaços institucionais para a garantia dos direitos das mulheres no Brasil e no Canadá. Interfaces Brasil/Canadá, 15(1), 347-385. doi: 10.15210/INTERFACES.V15I1.6721

Noronha, I., e Fraga, L. (2017). A terra e seus significados para as mulheres de Movimentos Camponeses. Anais do Eletrônicos do XI e XIII Seminário Internacional Fazendo Gênero. Florianópolis. Disponível em: https://bit.ly/3fVzyFB

ONU Mulheres Brasil. (25 de maio de 2020). Mulheres e meninas devem estar no centro dos esforços de resposta à Covid-19, apontam mulheres líderes. Disponível em: https://bit.ly/37yhtZJ

Pereira, N. (2016). Onde estiver o seu Tesouro ali também o seu Coração: mineração, tecnologia e economia em Jó 28. Revista Caminhos - Revista de Ciências da Religião, 14(1), 97-111. doi: http://dx.doi.org/10.18224/cam.v14i1.4828

Presidência da República. (2006, 7 de agosto). Lei Nº11.350. Disponível em: https://bit.ly/3AO19kf

Radford, R. (2014). Ivone Gebara: teóloga ecofeminista latino-americana. Mandrágora, 20(20), 175-185, 2014. doi: 10.15603/2176-0985/mandragora.v20n20p175-185

Reimer, H., e Richter, I. (2010). Espiritualidad ecológica en la Biblia. Revista de Interpretación Bíblica Latinoamericana, (65), 47-59. Disponível em https://bit.ly/3xBNISd

Richter, I. (2006). Patriarcado e economia política: o jeito romano de organizar a casa. In Economia no mundo bíblico: enfoques sociais, históricos e teológicos (págs.72-97). São Leopoldo, Brasil: CEBI; Sinodal.

Richter, I. (2010). Terra e água na espiritualidade do movimento de Jesus: contribuições para um mundo globalizado. São Leopoldo, Brasil: Oikos.

Richter, I. (2019). As teologias e práticas políticas dos movimentos (eco) feministas. Revista Caminhos - Revista de Ciências da Religião, 17(4), 120-137. doi: 10.18224/cam.v17i4.7489

Schüssler, E. (2009). Caminhos da Sabedoria: uma introdução à interpretação bíblica feminista (M. Ottermann, trad.). São Bernardo do Campo, Brasil: NhandutiEditora.

Souza, J. (2012). A teologia ecofeminista e sua perspectiva simbólico/cultural. Horizonte: revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religiao, 10(28), 1395-1413.

Toldy, T. (2013). “O Efeito Borboleta”: Ecologia e Teologias Feministas da Libertação. Revista Caminhos - Revista de Ciências da Religião, 11(2), 93-108. doi: 10.18224/cam.v11i2.2839
Publicado
2020-09-21
Cómo citar
Richter Reimer, I. (2020). Teologia Ecofeminista frente às crises socioambientais e pandêmicas. RedPensar, 9(2), 1-11. https://doi.org/10.31906/redpensar.v9i2.206